ARTIGOS

Tudo sobre o Bulldog Francês

O Bulldog Francês é um cão muito simpático e pacífico que se destaca pela sua aparência cómica, com focinho achatado e orelhas de morcego. Aparece amiúde em anúncios de televisão e ao colo de vedetas como Di Caprio, Madonna, Lady Gaga, Hugh Jackman ou David Beckham. É hoje em dia uma das raças mais apreciadas por famílias citadinas que deixaram de preferir o cocker ou o caniche para adotar este amigo de cara esborrachada.

A História do Bulldog Francês

A origem do Bulldog Francês é motivo de discórdia entre franceses e britânicos: os primeiros acreditam que descende de diversos cruzamentos de raças pouco conhecidas, os segundos que descende do Bulldog Inglês. Não querendo tirar partido, temos de referir que de acordo com dados históricos é mais provável que o Bulldog Francês tenha de facto descendido do Bulldog Inglês que, por sua vez, teve a sua origem nos extintos cães Molossóides que se espalharam por todo o império romano. Alguns chegaram ao Reino Unido e evoluíram até se converterem no Bulldog Inglês, por volta do século XVIII. A fama deste cão ser um bom guardador de gado (dai o nome Bulldog ou cão de touro) chega a Paris, onde a raça começa também a ser utilizada em lutas de cães. Ora, como estas lutas eram proibidas, começaram a ser selecionados exemplares mais pequenos e mais fáceis de esconder para ser possível organizá-las de forma clandestina, e isso levou ao cruzamento do Bulldog Inglês com cães rafeiros que, além de reduzir o tamanho, lhes conferiu as típicas orelhas eretas. E assim nasce em França, no final do século XIX nos bairros mais humildes de Paris, o Bulldog Francês que conquistou de imediato a alta sociedade pela sua aparência peculiar e excelente carácter. Inclusive, em 1850 o rei de Inglaterra, Eduardo VII, adquiriu um Bulldog Francês e a raça passou a ser apreciada por toda a burguesia europeia. Anos depois, em 1880 é fundado o primeiro clube da raça, mas foi preciso aguardar mais 18 anos para a ver reconhecida oficialmente. De lá para cá o Bulldog Francês atravessou fronteiras e tornou-se numa das raças mais populares do mundo.

Características

Nome da raça: Bulldog Francês

Classificação: GR. 9 Secção 11 (Molossóides de tamanho pequeno)

Origem: França

Porte: Pequeno

Peso aproximado: 9/14 Kg

Altura aproximada: 29/32 cm

Esperança média de vida: 12 anos


Cabeça: achatada, larga, quadrada e quase plana de orelha a orelha, com rugas e dobras concêntricas. 

Nariz: grande e arrebitado.

Mandibulas: possantes, sendo a mandíbula inferior proeminentemente moderada (prognatismo).

Olhos: redondos, grandes, escuros e ligeiramente protuberantes.

Orelhas: eretas, de tamanho médio, largas na base e arredondadas na ponta e por isso apelidadas de “orelhas de morcego”.

Corpo: muito musculado com o dorso largo, pescoço curto, sem barbela, peito e costelas com forma oval, lombo curto, garupa obliqua e ventre levantado.

Membros: grossos, curtos (embora os membros posteriores sejam um pouco mais longos), patas redondas e ligeiramente voltadas para fora. 

Pelo: raso, cerrado, brilhante e macio.

Cauda: curta, grossa na base e mais fina na ponta.

Pelagem: uniformemente colorido fulvo (do vermelho até ao café com leite), tigrado ou não, com manchas limitadas. Existem exemplares brancos e tigrados e totalmente brancos.

Saúde

A saúde do Bulldog Francês pode ser definida como frágil porque esta é uma raça braquicéfala, ou seja, uma raça criada exibir um maxilar inferior normal, face ao tamanho do corpo, e um maxilar superior recuado. Uma aparência engraçada, sim, mas que compromete de várias formas a vida e saúde destes cães porque o nariz achatado impede-os de controlar a temperatura interna e por isso, normalmente sentem dificuldades ao respirar, particularmente após algum exercício físico, esforço ou calor. E quanto mais óbvio for o focinho achatado, maior é a probabilidade destes cães terem dificuldades respiratórias, além de que quanto mais enrolado for o rabo, maior é a probabilidade de malformações na coluna. E por terem um crânio anormalmente grande também é elevada a probabilidade de ocorrerem problemas num parto normal.

Ainda em relação à saúde do Bulldog Francês, há a dizer que este tipo de cão pode vir a manifestar problemas oculares e cardíacos, sendo que os últimos muitas vezes são despoletados pelo excesso de peso. Efetivamente, esta raça tem tendência para engordar e acumular gases, mas nada que não se consiga controlar com uma alimentação adaptada e equilibrada. 

As suas rugas profundas podem, por seu turno, levar a alergias e infeções se não forem devidamente e frequentemente higienizadas.

Os exemplares com grande parte do pelo branco ou totalmente brancos podem vir a sofrer com problemas de pele se não se consultar um veterinário assim que comecem a evidenciar irritações.

Temperamento

O Bulldog Francês é o cão de companhia perfeito. Afável, brincalhão, bem-disposto, destemido, sociável, leal e muito simpático. Ideal para famílias com crianças pequenas devido ao seu perfil carinhoso e para famílias que vivem em apartamentos, pois não precisa de muito espaço nem de exercício, e ladra pouco. Contudo, é um cão que exige a companhia dos donos e não reage bem ao facto de ter de ficar em casa sozinho, podendo tornar-se destrutivo.

Apesar de ser um cão inteligente, que interage facilmente com os donos, a sua teimosia exige uma educação firme e uma dose extra de paciência para se alcançar um comportamento excelente. Porém, é um animal de fácil adaptação a novos ambientes e pessoas, pelo que é o cão ideal para se adotar já em adulto.

Alimentação

Em cachorro, este cão deve ingerir alimentos que contribuam para o suporte da sua saúde digestiva, ajudem a promover o equilíbrio da flora intestinal e a reforçar as defesas naturais. O ideal é ração para Bulldog Francês júnior com nutrientes indicados para o crescimento correto nos primeiros meses de vida. Em adulto, a alimentação do Bulldog Francês deve ser ajustada à sua grande sensibilidade digestiva e cutânea, problemas respiratórios que pode desenvolver devido à morfologia de cabeça braquicéfala e fragilidade das articulações. Deste modo, a alimentação do Bulldog Francês deve incluir nutrientes, ingredientes e vitaminas que ajudem a evitar e combater estes problemas, mas que sejam também de fácil digestão, tenham um nível moderado de calorias para controlar o peso do cão e se possível um formato adaptado à mandibula braquicéfala, que facilita a preensão e estimula a mastigação.

Existem no mercado opções a nível de ração para Bulldog Francês, de qualidade e completas a nível nutricional, que acompanham as várias fases da vida do cão.

O Cachorro Bulldog Francês

O cachorro Buldogue Francês é uma fonte de alegria, mas exige muita atenção e acompanhamento. De possíveis acidentes a doenças, passando pela alimentação e terminando na vacinação e nos passeios do animal, há alguns pontos fundamentais que o dono ou tutor não pode negligenciar:

  • Alimentação – adequada à idade. E para evitar diarreias ou vómitos, não se deve fazer mudanças bruscas de ração, ou seja, quando chegar ao novo lar, o cachorro Buldogue Francês deve continuar a comer aquilo que estava a comer antes e em caso de mudança, esta deve ser feita de forma progressiva e gradual: misturando a ração antiga com a nova.
  • Higiene – habituação a banhos e escovagens, logo que possível.
  • Socialização – o cachorro Bulldog Francês deve começar a relacionar-se desde cedo com outras pessoas e animais. No entanto, não deve sair à rua enquanto não estiver devidamente desparasitado e vacinado.
  • Brinquedos – o Bulldog Francês é um cachorro extremamente agitado que necessita de bastantes brinquedos para gastar energia.
  • Microchip – é necessário fazer a identificação obrigatória do animal através de um microchip que deve ser colocado pelo veterinário entre os 3 e os 6 meses de idade. Depois, o dono tem 30 dias para efetuar o registo na Junta de Freguesia da sua área de residência.
  • Vacinação – apesar dos cachorros receberem a primeira imunidade das suas mães no início da amamentação, esses anticorpos acabam por desaparecer de forma que os cães não ficam devidamente protegido se a vacinação não começar a tempo. É imprescindível desparasitar o cachorro Bulldog Francês antes de começar a vacinação e depois, até aos primeiros 45 dias de vida, dar a primeira dose da vacina contra o Parvovírus e até às 9 semanas de vida, a vacina de proteção contra Cinomose canina, Adenovírus tipo 2, Hepatite infeciosa C e Leptospirose e a segunda dose da vacina contra o Parvovirus até às 9 semanas.

Cuidados

O Buldogue Francês precisa de diversos cuidados especiais, entre eles:

  • Vigilância médica – como é um animal sensível e propenso a problemas cardíacos, deve-se dar especial atenção à sua saúde, recorrendo a um acompanhamento veterinário para se poderem detetar e até evitar alguns problemas. 

Call-to-action

Clínica Veterinária João XXI: o cuidado veterinário para o seu melhor amigo.

  • Higiene – em casa, além das escovagens e banhos, deve-se proceder à limpeza frequente das rugas no focinho com soro fisiológico, para evitar alergias e infeções.
  • Alimentação – como o aumento da massa gorda é frequente nesta raça, deve-se controlar o peso do animal através de uma alimentação adequada.
  • Conforto – deve-se manter o Bulldog Francês sempre arejado, fresco e hidratado.
  • Exercício físico – não exagerar! Caminhadas de 15 minutos são suficientes. E não incentivar a nadar, pois a maioria dos cães desta raça, devido à sua morfologia, não consegue nadar. 

Bulldog Francês versus Pug

O Bulldog Francês é muitas vezes confundido com o Pug devido às semelhanças estéticas entre as duas raças. Ambos são de porte pequeno e encorpados, mas o Bulldog Francês tem as orelhas erguidas e a cauda curta e o Pug as orelhas caídas e a cauda enrolada. Em relação à cor, o primeiro pode assumir várias cores e diferentes padrões (preto, preto e branco, tigrado, azul, cinza, bege…), mas o segundo normalmente é fulvo e preto. De resto, Bulldog Francês e Pug são cães sociáveis, carinhosos e calmos em adultos, com grandes proporções num tamanho pequeno. As duas raças – Bulldog Francês e Pug – têm também uma saúde frágil dada a sua natureza braquicéfala que trás problemas respiratórios, pelo que caminhadas curtas são suficientes para se exercitarem. 

Mais do que uma raça, um Bulldog Francês é um animal de estimação com traços gerais comuns, sim, mas também com uma personalidade própria e com uma grande capacidade para refletir o carácter do dono. Por isso, antes de se tomar a decisão de adotar ou adquiri um animal desta raça, deve-se pensar no tipo de cão mais adequado às características do agregado familiar.

Marcação de Consulta

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut faucibus mollis pellentesque. Vestibulum nec leo sed lectus vehicula ornare. Curabitur at turpis at ligula auctor fermentum. Sed varius pharetra lacinia.

Últimos Artigos

Repelentes naturais de pulgas e carraças versus tratamentos químicos com pesticidas: quais escolher?

Leishmaniose canina: um caso em que prevenir, é mesmo o melhor remédio

Categorias
Últimos Artigos

Repelentes naturais de pulgas e carraças versus tratamentos químicos com pesticidas: quais escolher?

Leishmaniose canina: um caso em que prevenir, é mesmo o melhor remédio